Make your own free website on Tripod.com

Familia Eli

Margarida Eli

Principal
Wilhelm Eli
Franz Jakob Eli
Johann Jacob Eli
Heinrich Eli
Margarida Eli
Cristina Eli
Maria Eli
Carolina Eli
Catharina Eli
Dorothea Eli
Margarida Eli
George Eli
Mathias Eli
Maria Eli
Pedro Eli
Mathias Pedro Eli
Clodoaldo Eli
Balduino Eli
Christina Eli
José Eli
Maria Eli
Maria Elisabetha Eli
Maria Margaretha Eli
Wilhelm Eli
Guilherme Eli
Leopoldo Eli
Bertholdo Eli
Maria Eli
Pedro Guilherme Eli
João Eli
Catharina Eli
Pedro Eli
Pedro João Eli
Ivo Eli
Avelino Eli
Pedro José Eli

FERNANDO (Ferdinand) MOMM

(03.04.1880 - 01.02.1929)

Margarida Eli

( - 13.02.1922)

 

Fernando é nome de origem visigoda que significa ardoroso na paz.

Ferdinand Momm, filho de Ludwig Wilhelm Momm (20.10.1834 - 29.07.1914) e de Anna Maria Franzener (21.03.1848 - 06.12.1934), nasceu  no Morro do Garcia na Fazenda Sacramento de Baixo em Águas Mornas, então pertencente a Santo Amaro da Imperatriz.

No dia 16 de janeiro de 1904, conforme registo na folha nº 66 do livro nº 3 do cartório de Santo Amaro da Imperatriz, casou-se com Margarida Eli, de Vargem Grande, filha de Heinrich Eli (15.09.1862 - ) e Anna Maria Meyer (22.11.1864 - ), ele filho de Wilhelm Eli e Margaretha Fritzen e ela filha de Peter Meyer e Margaretha Hammes (- 06.12.1921). Wilhelm Eli é filho de Franz Jacob Eli e de Christina Flick. Margaretha Fritzen é filha de Heinrich Fritzen e de Anna Margaretha Theisen. Peter Meyer é filho de Johann Meyer e de Anna Maria Schneider. Margaretha Hammes é filha de Johann Hammes e de Margareth Ehmann.

Ferdinand e Margarida foram morar na Vila Nova, em Águas Mornas, nas margens do Rio Cubatão.

Tinham engenho de farinha e açúcar e alambique.

Na entressafra, como fazia seu  pai,  Ferdinand era pintor, tendo pintado a igreja de Loeffelscheidt. Em 1915 o pintor Fernando Momm foi contratado para pintar a igreja de Águas Mornas (então denominada Caldas do Norte), que em 1897 havia sido pintada por seu pai Guilherme Momm.

Tiveram 11 filhos:

Ana Sofia Momm (23.01.1905 - ) que casou-se com José Soares.

Leopoldo Momm (08.03.1906 - 1976) que casou-se com Luzia Daman.

Vilibaldo Momm (24.05.1907 – 01.06.1969) que casou-se com Leonora Sens.

Hilda Momm (12.12.1908 - )

Christina  Momm  ( 11.06.1910 - ) que  casou-se  com Leopoldo Steffen.

Pedro Momm (02.10.1911 - )

Evaldo Momm (03.09.1913 - 20.11.1983) que casou-se com Laurentina Beppler.

Hilária Momm (10.07.1915 - ) que casou-se com  Fritz Hinckel.

Maria Leonida Momm (22.04.1917 - 27.08.1924)

Olga Momm (20.08.1918 -  07.05.1926)

Eriberto Momm (25.07.1920 – 20.05.1923)

No dia 13 de fevereiro de 1922 Margarida veio a falecer precocemente deixando órfãos seus onze filhos.

A malária acabou com a alegria da família tendo levado Hilda, Pedro, Maria Leonida, Olga e Edelberto.

Ferdinand vendeu tudo e mudou-se para a localidade de Faxinal da Vila Nova, em Salto Grande  (Ituporanga)  onde comprou  um lote de terras tendo dado uma entrada e financiado o restante.

Seguia assim o caminho de seu irmão Pedro e de sua irmã Cecília que para lá já haviam se transferido a procura de ares mais saudáveis e terras mais férteis.

Quando pintava a casa paroquial de Salto Grande colocou a escada sobre uma caixa e acabou caindo.  Sofreu ferimentos graves na coluna.

Permaneceu aproximadamente um ano e meio de cama sem poder trabalhar enquanto a família comprava a crédito na casa comercial que lhe havia vendido o terreno.

No inicio de 1929, tendo piorado, foi trazido para Florianópolis, onde já teria chegado sem vida.

Seus filhos tiveram que entregar o terreno em pagamento das dívidas.

Foram então morar com o tio Pedro Momm, que  era vizinho.

 

Escreva para:

Nilo Momm